Megatendências

Quais são as megatendências que caracterizam o presente? Quais são os seus impactos tecnológicos? Os pesquisadores de tendências têm respostas diferentes para isto. Compilamos um número de previsões feitas por especialistas de tendências.

MEGATENDÊNCIAS – UMA VISÃO DO MUNDO DE AMANHÃ

O mundo está cada vez mais organizado em redes. Quer online ou offline, todas as pessoas mantêm uma ligação entre si, muitas vezes apenas de forma tênue, mas quase sempre no âmbito digital. Os dispositivos inteligentes, que estão interligados e  se comunicam através da Internet estão se tornando cada vez mais um companheiro inseparável no dia a dia. Eles estão presentes tanto no ambiente profissional como no privado - estão interligados.

Tecnologias:

  • Digitalização – tudo o que pode ser digitalizado, é digitalizado

  • Internet das coisas – aumento da comunicação entre dispositivos

  • Big Data – a análise inteligente cria novas perspectivas e modelos de negócio

  • E-commerce e comércio móvel – demanda crescente de entregas imediatas

  • SoLoMo (Social, local, mobile) – a convergência de tecnologias colaborativas, locais e móveis

  • Lead Management – essencial para qualquer empresa

  • Pop-Up Money – surgimento crescente de moedas paralelas (Bitcoin, por exemplo)

A globalização progressiva caracteriza-se pela integração e internacionalização contínua dos mercados, juntamente com os seus impactos crescentes na sociedade, abrangendo desde o sistema de educação até à vida privada e relações interpessoais.

Desenvolvimentos:

  • Aumento das exportações e crescente envolvimento dos países emergentes no comércio mundial e crescimento da economia. Há o surgimento de uma nova classe média em países emergentes (BRIC, Next Eleven) e na Europa Central e Leste Europeu

  • Os grupos de classe média já estabelecidos nos países industriais estão diminuindo. Os sistemas sociais estão sob pressão crescente, havendo um número cada vez maior de super-ricos com fortunas em crescimento.

  • Tudo aquilo que pode ser automatizado é sujeito a uma verificação quanto a viabilidade e rentabilidade. As máquinas assumem gradualmente as tarefas monótonas ou cansativas. A responsabilidade humana está em transição. O trabalho torna-se mais fácil, e os valores desviam-se do caráter material para o imaterial.

  • A globalização crescente conduz a uma maior regionalização. Os produtos regionais tornam-se importantes fatores de criação de valor.

  • Os limites entre as diferentes culturas são cada vez mais tênues.

  • As normas e regulamentos nacionais, europeus e multilaterais estão cada vez mais densas, implicando em exigências obrigatórias na concorrência global.

Além do transporte de pessoas, mercadorias e informações, a mobilidade inclui também a flexibilidade mental crescente como, por exemplo, em relação a questões como escolha de carreira, mudança de fase da vida e aprendizagem. Para muitas áreas profissionais do futuro, a aprendizagem com flexibilidade espacial e cognitiva, serão requisitos fundamentais em concorrência com máquinas e trabalhos bem remunerados.

Desenvolvimentos:

  • A capacidade de concorrência das empresas e funcionários em um mundo globalizado depende, em grande parte, da mobilidade. As estruturas das empresas globalizadas tornam-se cada vez mais fluidas e semelhante a enxames.

  • As pessoas exigem mobilidade 24 horas por dia. O metrô da cidade de Viena, por exemplo, funciona 24 horas por dia. As novidades relacionadas à mobilidade e os modelos de negócio como o CarSharing (compartilhamento de carros) estão a ganhando terreno. O número de usuários de CarSharing na Europa aumentará de 0,7 milhões em 2011 para 15 milhões em 2020.

  • Mais mobilidade também representa um maior impacto ambiental, e exige o desenvolvimento de novas tecnologias sustentáveis.

  • A procura de um lar, estabilidade e de um verdadeiro sentido de aproximação é uma tendência contrária à mobilidade. A coordenação e comunicação irão se intensificar drasticamente devido ao crescente número de funcionários colaborando em projetos a partir de diferentes localidades. Em consequência disso, a “vigilância” será uma força estabilizadora.

A transformação de uma sociedade industrial para uma sociedade de conhecimento, baseada na criação de valor imaterial, conduzirá a mudanças em termos de estruturas das empresas e do comportamento das entidades patronais. A mão-de-obra em áreas como serviços, informação e criatividade passará a ser um fator essencial da economia global. Os processos, experiências e ideias ganham maior importância. Os limites entre vida privada e profissional tornam-se cada vez mais tênues. Os funcionários permanentes também exigirão mais independência como parte do exercício das suas atividades.

Desenvolvimentos:

  • Educadores, empresários e os ricos do futuro formam a classe criativa. Trata-se de pessoas hedonistas, que desfrutam do “novo luxo” e cujas famílias são cidadãs do mundo, que, ao mesmo tempo, também se sentem comprometidas com a sua região.

  • A classe criativa aprecia o desempenho excepcional, artesanato de qualidade, tecnologias atuais, transparência, sustentabilidade, amizade, autoaperfeiçoamento e qualidade de vida. Ela redefine o conceito de trabalho, exigindo modelos de horários de trabalho flexíveis, mais autonomia e realização pessoal. As biografias de carreiras passam a ser multigrafias, com o objetivo de alcançar uma vida longa.

  • O trabalho móvel em qualquer lugar do mundo para um melhor desenvolvimento da própria criatividade, aliado a um bom equilíbrio entre vida pessoal e trabalho passará a ser uma norma esperada. Apenas aquelas empresas que conseguirão posicionar-se como uma entidade empregadora com ofertas atrativas, horários de trabalho flexíveis, anos sabáticos, princípios de equilíbrio entre vida pessoal bem como um trabalho interessante, serão capazes de atrair e reter os melhores profissionais.

O conceito de neo-ecologia abrange mais do que apenas a preservação da natureza ou oposição à grande indústria. A sustentabilidade e eficiência caracterizam todas as áreas e abrangem economia, ecologia e responsabilidade social. Um número crescente de consumidores opta por marcas “boas” e por empresas que oferecem mais do que apenas um produto. Estas empresas prometem contribuir com algo para a vida dos seus clientes, funcionários e da sociedade de modo geral.

Desenvolvimentos:

  • A proteção ambiental, boas condições de trabalho e oportunidades iguais de carreira são aspectos essenciais para o sucesso de uma empresa. Esse tipo de empresa é considerada como sendo uma “boa empresa” que, de forma ativa, assume a sua responsabilidade na sociedade.

  • Ao tomarem as suas decisões de compra, os clientes fazem uma avaliação cada vez mais crítica dos aspetos éticos e ecológicos dos produtos e das marcas.

  • O consumo civilizado, refletido em artigos como café, chá, vestuário e produtos alimentares, substitui o clássico conceito de “artigos de luxo”.

  • As empresas dão cada vez mais valor a uma produção sustentável, mesmo durante o desenvolvimento de produtos. A sustentabilidade como benefício para o cliente ganhou importância crescente como valor agregado (“Added Value”) e abordagem de promoção.

Há mais de 100 anos que a sociedade é caracterizada por uma ambição de maior autonomia e autodeterminação, juntamente com o declínio dos clássicos modelos hierárquicos. As pessoas moldam e revelam a sua identidade e personalidade através do que consomem e pela procura de novas ligações. As decisões de vida importantes são adiadas, de forma a reter o maior número de opções possível o maior tempo possível.

Tecnologias:

  • Fabbing – fabricação individual de produtos com a ajuda de impressoras 3D

  • Rapid Manufacturing – utilização de impressoras 3D profissionais para produtos individualizados

Desenvolvimentos:

  • Os estilos de vida tradicionais estão mudando como resultado do desejo crescente de uma “vida real” e pessoal, juntamente com a necessidade de auto-realização. Mudança de emprego, mudança de local, mudança de parceiro – as biografias são agora constituídas, na sua maioria, por fins e novos começos.

  • As pessoas utilizam a Internet como plataforma de autorretrato e para a publicação de conteúdo pessoal. Surgem cada vez mais websites do tipo Do-it-yourself, que realçam o desejo de adquirir objetos de design único para uso diário.

  • As relações escolhidas livremente, como amigos e comunidades sobre tópicos específicos mudam o papel da família tradicional.

  • O potencial comercial está no desenvolvimento de produtos e serviços personalizados, com base em conceitos modulares.

COMO POSSO AJUDÁ-LO?

[---Error_NoJavascript---]