Novos trabalhos: A classe criativa

A transformação de uma sociedade industrial para uma sociedade de conhecimento, baseada na criação de valor imaterial, conduzirá a mudanças em termos de estruturas das empresas e do comportamento das entidades patronais. A mão-de-obra em áreas como serviços, informação e criatividade passará a ser um fator essencial da economia global. Os processos, experiências e ideias ganham maior importância. Os limites entre vida privada e profissional tornam-se cada vez mais tênues. Os funcionários permanentes também exigirão mais independência como parte do exercício das suas atividades.

Desenvolvimentos:

  • Educadores, empresários e os ricos do futuro formam a classe criativa. Trata-se de pessoas hedonistas, que desfrutam do “novo luxo” e cujas famílias são cidadãs do mundo, que, ao mesmo tempo, também se sentem comprometidas com a sua região.

  • A classe criativa aprecia o desempenho excepcional, artesanato de qualidade, tecnologias atuais, transparência, sustentabilidade, amizade, autoaperfeiçoamento e qualidade de vida. Ela redefine o conceito de trabalho, exigindo modelos de horários de trabalho flexíveis, mais autonomia e realização pessoal. As biografias de carreiras passam a ser multigrafias, com o objetivo de alcançar uma vida longa.

  • O trabalho móvel em qualquer lugar do mundo para um melhor desenvolvimento da própria criatividade, aliado a um bom equilíbrio entre vida pessoal e trabalho passará a ser uma norma esperada. Apenas aquelas empresas que conseguirão posicionar-se como uma entidade empregadora com ofertas atrativas, horários de trabalho flexíveis, anos sabáticos, princípios de equilíbrio entre vida pessoal bem como um trabalho interessante, serão capazes de atrair e reter os melhores profissionais.

[---Error_NoJavascript---]